quinta-feira, 28 de junho de 2012

Direto do túnel do tempo...

Vocês já tinham visto esta foto do Steve Jobs mais jovem? Fiquei impressionada, achei que ele era muito lindo rsrsrs!!!!!


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Esses dias conversava com Guga sobre a vinda de Thassia Naves pra João Pessoa. Acho que todas nós lemos esses blogs, não? Esses e tantos outros, de festas, viagens, decoração. Como todo mundo, me sinto inspirada ao ver que aquele colar há tanto guardado pode compor lindamente uma produção, que copos de geleia que iam pro lixo podem ser vasos, ou porta condimentos e que ideias simples valem ouro numa sala de estar sem graça e que festinhas de crianças podem ser maravilhosas sem que se gaste milhares de reais.

Ocorre que me vi meio chocada, pensando nos valores que a sociedade, de um modo geral, tem dado a essas "embaixadoras da moda" da vida real.

Vida real? Será? Acho que é fácil fazer bonito com um look todo montado no catálogo da Les Lis Blanc, Bobstore, pensado e repensado por stylists renomados, que passam horas a fio matutando sobre moda, "qual informação e textura fica legal com tal colar". Sei que nem todo mundo que anda de Chanel necessariamente é a rainha do estilo, mas vamos combinar que é difícil errar quando você compra um look montado numa vitrine, e agrega a isso uma Birkin e um óculos estiloso.

Difícil mesmo é pegar suas roupas de anos atrás e andar dignamente bonita, ser gente de verdade. 

Parece um pecado não ter um maxi-colar, não usar caveira, não ter calças de couro sintético e receber doações de amigas é sinônimo de fracasso profissional e financeiro.

Idolatremos herois de verdade, como o rapaz de 17 anos que resgatou a menina Brenda de um sequestrador (vide notícia: http://www.meionorte.com/noticias/geral/orfao-jovem-que-salvou-garota-brenda-sonha-em-ser-bombeiro-171486.html).

Para finalizar, frases para reflexão:

"Crie filhos em vez de herdeiros."


"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."

"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."

"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."

"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."

"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"

"Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos."

"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas...."

"...e quem sabe assim você seja promovido a melhor ( amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"

"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Compartilhando a (Im)Perfeição Nossa

Perambulando pelo Instagram hoje de manhã, veio a inspiração para esse post. O modo como as redes sociais fazem com que todos nós pareçamos artificiais, não o tempo todo, mas muitas vezes. Artificiais no sentido de que queremos compartilhar sempre algo incomum, interessante, como se todos os nossos dias fossem fantásticos e inesquecíveis. Não há registro algum daqueles dias em que ficamos doentes, em que não fizemos absolutamente nada. Nem vestígios dos dias em que tivemos que limpar o chão, fazer o almoço, varrer a casa, tivemos preguiça em ir trabalhar, estamos com o cabelo terrível ou desarrumados, nada que remeta à nossa rotina entediante, à nossa vida comum e sem graça. Postamos fotos andando em transporte público no exterior, mas temos vergonha de usá- los aqui no Brasil. Ser dona-de-casa, mãe ou pai em tempo integral ou ter um emprego desvalorizado em outro país chega a ser cool, um estilo de vida legal, aqui somos desocupados ou estamos em dificuldade. Somos sempre cultos, bem-humorados, felizes, inteligentes, bem-vestidos, politicamente corretos e criativos. Freqüentamos lugares maravilhosos, viajamos para lugares exóticos, somos "amigos" de tanta gente bacana, antenada e importante.

 Precisamos amar a nossa vida do jeitinho que ela é, com dias bons e dias ruins; admitir nossos defeitos, nossos equívocos, nossas falhas. Podemos nos dar direito a ter acessos de raiva, a sermos injustos, a sermos cruéis e intolerantes em alguns momentos de nossas vidas. Nem de longe somos perfeitos, enganamos e somos enganados, levamos rasteiras nesta vida - somos traídos, perdemos o emprego, não temos dinheiro, não temos tempo de fazer o que gostaríamos. O compartilhar só tem sentido se for amplo, se contiver a nossa essência, o que realmente pensamos e somos, se for feito entre pessoas que realmente se conhecem e tem afeição recíproca.

 E agora só me vem à cabeça o "Poema em Linha Reta", de Fernando Pessoa: 

 "Arre! Estou fato de semideuses!
 Onde é que há gente neste mundo?"

 Vale a pena ler na íntegra aqui:
  www.insite.com.br/art/pessoa/ficcoes/acampos/538.php




quarta-feira, 20 de junho de 2012

Ter Namorada

Bom, esse poema era pra ter saído no Dia dos Namorados, mas o computador quebrou às vésperas, eu não salvara no e-mail e só agora foi consertado. Fiz como resposta ao texto desaforado sobre o Dia dos Namorados do ano passado, que pus em seguida ao poema:

Ter Namorada

Ter namorada é bom demais! É ter companhia para todas as horas, para todos os lugares, para todos os momentos, sempre: é nunca se ...sentir só!

Ter namorada é bom demais! É frustrar qualquer tédio, qualquer solidão, e se divertir com o simples fato de estar junto dela!

Ter namorada é bom demais! É ganhar presentinhos, cartinhas e chocolates que me deixam me sentindo, me achando, todo contente, todo abestalhado!

Ter namorada é bom demais! É se achar lindo, sendo feio, se achar inteligente, sendo burro, se achar cheiroso, sendo podre, se achar gente boa, sendo um porre, se achar perfeito, sendo um defeito, só porque ela simplesmente acha tudo isso!

Ter namorada é bom demais! É receber abraços, beijos e paparicos que fazem o olho brilhar e o coração bater mais forte!

Ter namorada é bom demais! É dar carinho, ver um sorriso verdadeiro, um olhinho cintilando e ela se aconchegando no meu abraço!

Ter namorada é bom demais! É ser amado, é amar, é dizer um “te amo”, é ouvir um “te amo”, é sentir o amor abraçando o coração!

Ter namorada é bom demais! É ir dormir falando com ela e acordar pensando nela, mesmo já tendo sonhado com ela!

Ter namorada é bom demais! É sentir ciúme na medida certa, pra ela sentir que a gente sente amor por ela! E ver ela enciumada um tantinho, pra sentir que ela sente amor por mim! Uma pitadinha de ciúme é sempre bom pra não insossar...

Ter namorada é bom demais! É fazer mimos, cartas, cartões e cartinhas, mandar aquela mensagenzinha, fazer que elas sejam princesinhas!

Ter namorada é bom demais! É quebrar a cabeça pra fazer surpresa pra ela, é passar horas inventando coisas pra ela, é se preocupar com o presente presente, com o presente fofo e romântico, com a embalagem do presente, com a cartinha, com o restaurante, com as flores, com os chocolates, com o jeito que vai dar o presente, com a hora que vai dar o presente, só pra ver ela feliz, só pra ver ela se achar...É ficar doidinho até a hora de presentear!

Ter namorada é bom demais! É mandar flores fragrantes, flores bonitas, flores vistosas e depois dizer a ela que ela é ainda mais bela, mais perfeita e mais cheirosa!

Ter namorada é bom demais! É se beijar no cinema, no sofá, na praia, no carro, no mar, na piscina, na rua, na chuva, em qualquer lugar, não se envergonhar de amar!

Ter namorada é bom demais! É dominar hoje, ser dominado amanhã, e nem ligar se é mandado ou se manda, porque a gente simplesmente se ama!

Ter namorada é bom demais! É ter uma amiga, uma companheira, uma conselheira, uma pessoa querida que um bem danado me faz!

Ter namorada é bom demais! É ter uma briguinha aqui, outra acolá, mas briga pra desculpar, sem se culpar, e depois mais e mais e só amar! Uma briguinha é bom pra esquentar, mas dormir brigado? Nem pensar! É mesmo que acabar!

Ter namorada é bom demais! É ser fiel a ela e ela ser fiel você, é só ter olhos pra ela e ela só ter olhos pra você, é viver só pra ela e ela viver só pra você!

Ter namorada é bom demais! É querer o tempo todo sentir o cheiro do cangote dela, é querer sentir o calor da pele dela, é querer pegar no cabelo dela, é querer ficar toda hora com ela!

Ter namorada é bom demais! É ver um filme e lembrar dela, ir numa loja e lembrar dela, comer uma comida e lembrar dela, estar na aula e lembrar dela...é com tudo pensar nela!

Ter namorada é bom demais! É ter uma musiquinha minha e dela, um apelidozinho meu e dela, uma comidinha minha e dela, um filminho meu e dela, um restaurantezinho meu e dela, um jeitinho de falar meu e dela, é criar um mundinho só pra você e pra ela!

Ter namorada é bom demais! É se sentir feliz, é se sentir completo, é se sentir satisfeito, é se sentir realizado, é se sentir mimado, é se sentir querido, é se sentir idolatrado, é se sentir de verdade amado!

Ter namorada é bom demais, ter namorada é tudo isso que eu disse.

Mas ter Louise de namorada é mais do que bom demais! É melhor que isso tudo! É a melhor coisa do mundo!

Porque Louise é a namorada que eu pedia a Deus e que ele me deu pra não tomar nunca mais! Como eu disse noutro poema, é Louise a luz dos olhos meus!

Te amo, Louise, hoje, mais que ontem, menos que amanhã, e que cada amanhã seja um hoje como hoje!

O texto do ano passado foi esse:

Do Dia dos Namorados e seus Demônios
Amanhã é o triste e fatídico Dia dos Namorados! Ah como eu odeio, odeio, odeio. Estou hoje à la Smurf Ranzinza e odeio, odeio e odeio o Dia dos Namorados, especialmente aqui no Brasil! O Brasil, este país que copia tantas e tantas coisas da Europa e dos Estados Unidos, justamente no Dia dos Namorados é original e o comemora, sabe-se lá por que cargas d’água, em 12 de junho, em vez de 14 de fevereiro, como os gringos do Norte, que celebram o Valentine’s Day, ou Dia de São Valentim. Se aqui fosse assim, eu nem me incomodaria tanto: usaria do meu catolicismo e faria uma procissão pra São Valentim...mas não...aqui comemoram num dia em que não se comemora mais nada, é um dia só pra os namoradinhos! Puta sacanagem com os solteiros! E neste ano ainda é pior: o dia 12 de junho caiu num domingo, dia naturalmente morgado! Mas a vida tem dessas coisas, e a gente tem de superar.
Estou estressado e enraivecido com a iminência da data. Não bastasse uma semana com todo mundo, todos os amigos e amigas, planejando, comprando presentinhos, pensando em idéias para surpreender o namorado ou a namorada, contando histórias dos outros anos, ME pedindo dicas sobre o que colocar em cartõezinhos, que flor comprar...Não bastasse isso, minha mãe, pra piorar meu humor, pegou uma encomenda gigante para uma celebração conjunta do Dia dos Namorados hoje à noite, e EU, solteiro, fiquei responsável por fazer uma TUIA de canapés! Ah! E ela, minha genitora que tanto amo, ainda por cima, queria que eu cortasse os pães dos canapés em forma de coração! Aqui que eu ia cortar pão em forma de coração! Em forma de tudo eu cortaria, mas de coraçãozinho? Neca de pitibiriba: uma afronta à minha solteiridade! Cortei em rodinhas mesmo. E ACHE BOM QUE EU NÃO CORTEI EM FORMA DE OUTRA COISA!
Além do trabalho todo de hoje, todas as comidas estavam com um cafona ar romântico: trufinhas coroadas com coraçõezinhos vermelhos, pirulitos de chocolate em forma de coração, bem-casados embrulhados em papel crepom cheio de coraçõezinhos vermelhos, tudo com lacinhos meiguinhos e idiotinhas! Morangos, tomates, cerejas e maçãs, pétalas vermelhas, toalhas vermelhas, bolas vermelhas...TUDO vermelho por aqui, simbolizando o amor e a paixão. Hunf! Olhe, se vermelho, durante os outros 364 dias do ano, é minha cor favorita, no Dia dos Namorados deixa de ser e dá lugar ao preto e ao roxo, ao cinza e a todas as cores que me remetam ao luto, à quaresma ou ao advento.
Até Janjão, Senhor, meu irmãozinho de 9 anos, estava todo romântico, escutando “Pra você”, da vaqueira Paula Fernandes, no sofá perto de onde eu estava, com o fone de ouvido, com os olhinhos fechados, balançando pra esquerda e pra direita, no ritmo da música, decerto pensando em Laurinha, a menina de quem ele gosta e com quem vai dançar quadrilha hoje...Até Janjão! E eu olhando pra ele com os mesmos olhos semi-cerrados com que fitei o prato que puseram no elevador outro dia, na esperança de que deles saísse um potente raio laser.
É como minha estimada amiga Gianne disse: ou eu sou uma frigideira sem tampa, ou nasci uma obra surrealista de Salvador Dalí! Bom, pelo menos o título de “baleia encalhada” não vai mais caber em mim, já que estou emagrecendo...Mas que ser uma piaba encalhada não seja o meu destino, por Deus! Eu sou um menino bom, estudioso, educado, bem criado, estou emagrecendo, sou de uma família boa, sou de Deus, acho que sou gente boa, as pessoas riem comigo...E, ainda por cima, qual uma amiga minha, estou me alugando gratuitamente para o Dia de amanhã!
Ah amanhã! Devo passar o dia de cama, devo sair do meu regime ( e não me digam pra não sair!) e comer tudo o que eu vir pela frente, não devo entrar no facebook para não ver mensagenzinhas bregas de amor ou atualizações e também não devo ir a restaurantes ou calçadinhas, para não ver os casaizinhos bobinhos e apaixonados. E devo passar o dia só, mas, como li algures, acaso passamos o dia da árvore abraçados com uma árvore? O dia de finados abraçados com um morto? Ou o dia do índio abraçados com um índio? Então pronto! Adeus!

terça-feira, 19 de junho de 2012

Recordar é Viver!!!

Sabe quando, do nada, uma lembrança vem à sua cabeça, e você começa a reviver aquele momento do passado de uma forma tão viva, tão nítida, que parece que acabou de acontecer?! De vez em quando, isso acontece comigo! Na semana passada, revivi um dia muito especial da minha infância. Nós morávamos numa fazenda, a Fazenda Nova, mas que ficava dentro da cidade de Patos, logo depois do açude do Jatobá  e do Alto da Tubiba rsrs. Era um belo dia, a fazenda estava cheia de gente, muita gente mesmo, todos tinham ido para a inauguração da bica, que nada mais era do que um cano de pvc bem grosso. Lembro da bica perto da plantação de melancias, da fila para tomar banho, da sensação gostosa da água que saía forte, das pessoas molhadas em volta, de correr com as outras crianças de volta pra casa, da alegria, do orgulho por ser a filha do dono da bica kkkkk!! Ri demais, sozinha, enquanto esse filme passava na minha memória...

domingo, 17 de junho de 2012

Férias Escolares 2

A tradicional colônia de férias do Clube Cabo Branco acontecerá de 09 a 20 de julho, essa eu conheço bastante, pois Clarinha já foi muitas vezes, e adoro! Apesar de serem muitas crianças, eles são super organizados, a as crianças realmente se divertem. São duas semanas seguidas, sempre no turno da tarde. Cada semana custa R$170,00, e as duas semanas custam R$320,00. As informações podem ser encontradas no blog deles: http://coloniaeccb.blogspot.com.br .


Uma outra opção é o Clubinho de Férias, do Centro de Cultura Zarinha. Eu queria ter inscrito Clarinha nele desde o ano passado, tem várias opções de cursos: Construindo meus brinquedos ( 4 e 5 anos), Desvendando a mitologia grega ( 9 a 12 anos), Turma do barulho! (2 e 3 anos), Oficina de Teatro de Bonecos (6 e 7 anos), Oficina de Xadrez (7 a 12 anos) e Iniciação ao Teatro (8 a 12 anos) - esse é o que Clarinha quer fazer! As atividades vão acontecer de 2 a 27 de julho, serão três dias por semana, durante quatro semanas. O valor para cada curso é de R$430,00. Mais informações:  www.zarinha.com

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Férias escolares

Como as férias já estão chegando, nada melhor que começar a planejar algumas atividades para as nossas lindas criaturinhas se ocuparem durante o mês de julho... Recebi este informativo de uma amiga, e achei uma ótima opção.


terça-feira, 5 de junho de 2012

Você precisa saber... da cartolina - por Martha Mendonça

"Logo que comunicou sua saída do Jornal Nacional, Fátima Bernardes deu uma entrevista falando das mudanças, do novo programa e de algumas coisas do cotidiano. Perguntada sobre o fato de o marido, William Bonner, ter se transformado num ídolo do Twitter, onde escreve assiduamente, ela respondeu: “Eu não tenho tempo. Enquanto ele está tuitando, eu estou pensando se alguma das crianças precisa levar cartolina pra escola no dia seguinte”.

 A frase bateu fundo no meu coração.

 Eu também coordeno a cartolina. E a cola e o presente do coleguinha e o binóculo pra excursão e o compasso escolar de precisão com cabeça fricçao 559wp001, que quebrou.

 Sim, os homens mudaram. Ninguém pode negar. Lavam louça, trocam fraldas, levam as crianças em festinhas infantis, ao médico. Os que me cercam, pelo menos, são assim – ou dou sorte. Conheço alguns que levam até mais do que as mães.

 Mas há uma última fronteira, espaço não explorado ainda pelos homens-pais, algo que eles ainda não experimentaram: a cartolina do dia seguinte.

 Por mais que eles façam, levem, tragam, cuidem, existe uma função que é da mãe (ou quase sempre da mãe, antes que chovam comentários tipo “ah, o vizinho do meu primo é que vê tudo isso”). Coordenar, ser uma agenda em forma de pessoa, ter um bloco de notas do smartphone com 319 itens, ter que se virar quando a pequena criatura diz “ih, mãe, amanhã é aniversário do Marcelo”, quando falta apenas uma hora pra ela ir pra escola – e você já está dando o beijo de despedida para trabalhar… Tudo isso está nas nossas costas maternas.

Organizar, lembrar de tudo, improvisar na última hora. Isso cansa muito mais do que o leva-e-busca (que a gente também faz!). Isso tudo ocupa a mente quando você toma banho, quando você entra no metrô. Quando você dorme. Recentemente sonhei que eu perdia a matrícula da escola nova da minha caçula. Acordei suada. Por muito tempo eu parava num sinal, já na esquina da natação do meu filho, e vasculhava desesperada a mochila pra saber se eu tinha mesmo tirado a touca da secadora.

Por isso, soltei uma gargalhada nervosa ao ler a resposta da Fátima. A cartolina do dia seguinte! Bingo. E fiquei com a impressão de que, se depender dela, este programa novo para mulheres vai ser um sucesso."



Quando li esse texto hoje, tive uma identificação imediata rsrs. Hoje acordei com Clara passando a minha pauta do dia: providenciar uma cartolina e fotos dela, de quando nasceu até hoje, para um trabalho da escola e comprar o seu vestido de São João. Depois abro a agenda de João e mais uma tarefa: confeccionar um instrumento musical com material reciclável. Tenho uma teoria de que a maternidade tem um poder devastador sobre a nossa capacidade de memorização. As coisas deles acabam ocupando praticamente todo o nosso espaço de armazenamento disponível. Gente, eu tinha uma memória espetacular !! Hoje, muitas vezes  tenho que parar para pensar onde estão cada um dos meus filhos, se está na hora  de pegá-los em algum lugar. Tenho que ter tudo anotado na agenda, as datas das provas e das reuniões escolares. A mãe tem que ir no encontro da catequese, tem que assistir à final de futsal dos jogos escolares, não pode esquecer de pagar a inscrição para o passeio da escola e, claro, sempre tem que comprar alguma cartolina...

sexta-feira, 1 de junho de 2012

A vida ao contrário

Eu queria ter escrito esse texto! Adorei: "A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deverí­amos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí­ viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. ...Aí­ você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade. Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?" Charles Chaplin